Díada

Art: Rafael Alvarez

Art: Rafael Alvarez

Duas eu sou

gêmea de mim mesma

dupl’alma e reflexos

num espelho sem faces

compondo-me díada.

Parte de mim

sente sua ausência,

anseia seu toque,

a conexão dos corpos

numa folia compassada

e dilúvios desritmados

 

Parte de mim

ignora suas sentenças

como adagas de prata

que rasgam-me o couro.

Sua língua chicoteia

fazendo-me dor.

 

Parte de mim

desconsidera a escassez

da cumplicidade.

 

Parte de mim

quer deixar sua entrada.

 

Só peço que guarde-me,

em cada veia pulsante

em toda frequência cardíaca

que te mantém vivo,

 

Pois parte de mim

sente sua frequência,

e baila com ela.

 

Mas a outra parte de mim

é a parte que sentencia

o veredicto final.

Anúncios

Um comentário sobre “Díada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s